A cicatriz é um processo natural de recuperação de ferimentos, e, do ponto de vista biológico, não existe a necessidade de ter uma boa aparência. Esse detalhe faz diferença apenas no ponto de vista estético se houver incômodo pessoal. Na cirurgia plástica, o cirurgião tem que ter controle da forma, do tamanho e do local do corte, para que a cicatriz fique escondida, e saber, ainda, escolher o tipo de instrumento de costura e curativo adequado para cada paciente, para que o resultado fique bonito e harmonioso. Atualmente, os resultados da cicatrização são muito melhores, diminuindo o medo da cirurgia plástica.

O processo de cicatrização tem a duração de 18 meses e se divide em três etapas. Na primeira etapa da cicatrização, até o segundo mês da cicatriz, ela se fecha de fato, mas ainda é evidente e pode ser escurecida e avermelhada.Já na segunda etapa da cicatrização, que tem seu início no terceiro mês e termina no final do primeiro ano do pós-operatório, o cirurgião plástico tem condições de avaliar se a cicatriz apresenta uma qualidade ótima ou alterações como quelóides ou cicatrizes hipertróficas. É nesta fase que se iniciam os tratamentos preventivos para uma cicatriz de ótima qualidade.Por fim, na terceira etapa da cicatrização, do primeiro ano até o décimo oitavo mês após a realização da cirurgia plástica,nesta etapa é possível fazer uma avaliação do resultado final da cicatrização. Caso apresente queloide, cicatriz alargada ou hipertrófica, tratamentos cirúrgicos ou estéticos serão recomendados.

cicatriz

Nenhuma cicatriz pode ser removida completamente. O grau de melhora depende das variáveis como a direção e o tamanho da cicatriz, a idade da pessoa, o tipo e a cor da pele e fatores hereditários que podem preceder a extensão do processo de cicatrização. Normalmente a correção cicatricial traz um aspecto mais “camuflado” à cicatriz, tornando-a mais fina e bem posicionada. O emprego de fios de sutura modernos, que mantém a cicatriz firmemente unida por um longo período de tempo e que é absorvido pelo organismo quando não é mais necessário traz melhorias importantes.
Há dois tipos de cicatrizes patológicas(anormais): as hipertróficas (mais alargadas e elevadas) e as queloidianas (elevadas, escuras e muito espessas). Às vezes as cicatrizes podem oferecer um incômodo físico, impedindo movimentos e causando coceira e dor. Para esses casos, tratamentos estéticos ou cirúrgicos são recomendados.

A cicatrização da pele varia de pessoa para pessoa e as principais alterações são:

Cicatriz atrófica: cicatrizes ideais, pouco perceptíveis, finas e claras. São mais comuns nas peles claras, finas e em pessoas mais idosas.

Cicatriz alargada: cicatrizes largas e brancas. Em geral, aparecem após a cicatriz hipertrófica.

Cicatriz hipertrófica: cicatriz  elevada, fibrosa, avermelhada, palpável na pele, pode melhorar com o tempo.

Queloide: parecida com a cicatriz hipertrófica,porém,em maiores proporções. Invade o tecido sadio, dói e coça. Sua incidência é maior em pessoas de pele negra e orientais. Não apresenta melhora com o tempo.

As opções de tratamento das cicatrizes inestéticas variam de acordo com o tipo e o grau de cicatrização e podem incluir:

  • Tratamentos tópicos simples: cremes com corticóide,placas de silicone etc.
  • Procedimentos minimamente invasivos: aplicação de triancinolona(corticóide), betaterapia(radioterapia superficial).
  • Revisão cirúrgica com técnicas avançadas de fechamento da ferida: sutura primária após ressecção da cicatriz, enxerto de pele e rotação de retalho.

A cirurgia de correção de cicatriz destina-se a minimizar a cicatriz de modo que fique mais uniforme com o seu tom de pele e a textura circundante. Apesar da correção da cicatriz proporcionar resultado estético mais agradável ou melhorar uma cicatriz que tenha má cicatrização, uma cicatriz não pode ser completamente apagada.

Os cuidados pós-operatórios são essenciais para uma cicatriz ideal. Os mais importantes são: evitar tomar sol, evitar esforços, usar protetor solar sempre, remover os curativos a partir da primeira semana e retomar as atividades cotidianas após o mesmo período. Além desses, o médico pode recomendar mais alguns procedimentos adicionais para que sua cicatriz seja a mais imperceptível possível, como: uso tópico de corticóides, peelings, cremes clareadores, curativos especiais ou compressivos hidrantes (silicone) ou com medicamentos, uso de laser ou luz pulsada, betaterapia (em casos de queloides), e, em casos extremos, remoção da cicatriz através de nova cirurgia.